A Abelha Rainha da MPB: Maria Bethânia

Com mais de 26 milhões de discos vendidos ao longo de mais de 50 anos de carreira, Bethânia se estende continuamente na história da música brasileira.

Compartilhe:

“Chegar, chegar para agradecer e louvar” diz a eterna rainha da MPB Maria Bethânia. Uma das maiores cantoras até hoje, Maria Bethânia Viana Teles Veloso, nasceu no dia 18 de junho de 1946 em Santo Amaro da Purificação na Bahia. Filha de José Teles e Claudionor, conhecida como Dona Canô. Em sua juventude Maria Bethânia sempre foi inspirada nas artes por vir de uma família artística, tendo como irmãos o cantor Caetano Veloso, o qual escolheu o seu nome sendo inspirado por uma música de Nelson Gonçalves, entre seus versos se encontra Tu és para mim a senhora do engenho, em sonhos te vejo, Maria Bethânia, és tudo que eu tenho…”.

Maria Bethânia

“Duas coisas que dentro de mim não podem ter fim; dois azuis no mesmo azul; meu horizonte sem nuvem nem monte; em mim o eterno é música e amor”

Além disso, também é irmã da escritora Mabel Velloso e tia dos escritores Belô Velloso e Jota Velloso. O sonho de Bethânia quando criança sempre foi ser atriz, até que com seus 17 anos se mudou para Salvador e entrou para a Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia, onde sempre frequentava exposições, peças de teatro, shows e tudo mais.

No ano de 1963 a cantora teve seu primeiro trabalho profissional na música, no qual foi convidada por seu irmão Caetano para participar da trilha musical da peça Boca de Ouro do dramaturgo Nelson Rodrigues. Bethânia cantou um sucesso da época Na cadência do samba. No ano seguinte, foi convidada pela cantora e violonista Nara Leão para substitui-la no espetáculo Opinião, na cidade do Rio de Janeiro, pois a mesma precisou ficar ausente por problemas de saúde.

Segundo a cantora, o marco zero de sua carreira foi o espetáculo, onde juntamente nasceu seu primeiro sucesso com a canção de protesto Carcará, composto originalmente por Nara Leão. E no mesmo ano foi contratada pela gravadora RCA, onde gravou o primeiro álbum chamado Maria Bethânia, lançado em junho do mesmo ano. Logo em 1964, apresentou espetáculos como Nós por Exemplo, a quem lançou compositores e cantores nacionais, dentre eles a cantora Gal Costa.

À medida que Bethânia crescia mais ela se tornava uma cantora de sucesso, realizando apresentações em casas noturnas e teatros, se tornando assim famosa nacionalmente. No ano de 1968 acontecem dois eventos marcantes em sua carreira, é lançado o seu primeiro álbum ao vivo nomeado Recital na Boite Barroco, estreando assim na gravadora Odeon. E uma coletânea de seus primeiros sucessos intitulada Velloso-Bethânia-Gil é lançada ao lado de seu irmão Caetano Veloso e do cantor Gilberto Gil. Além disso, no ano 1976, junto com os próprios cantores e Gal Costa, formam a banda hippie “Doces Bárbaros” e excursionam por todo o Brasil. O disco do grupo acabou virando tema de filme, DVD, enredo da Mangueira em 1994 e até uma apresentação especial para a rainha da Inglaterra.

Maria Bethânia – Motriz (Autor – Caetano Veloso)

No final da década de setenta a MPB começou a ser a música mais consumida no Brasil, e Maria Bethânia não ficou atrás, sendo chamada frequentemente como Abelha Rainha da MPB. A cantora revolucionou maneiras de performances em shows, mesclando músicas e poemas em suas canções, trechos de textos de literatura, como o disco aclamado Rosa dos Ventos. Bethânia conta que sempre teve o hábito de unir poemas com letras de canções “Às vezes, ouço uma canção da Marisa Monte e penso que o poema de outro autor se encaixa bem na melodia…” diz a cantora em uma entrevista.

Vem por aqui” — dizem-me alguns com os olhos doces;

Estendendo-me os braços, e seguros;

De que seria bom que eu os ouvisse;

Quando me dizem: “vem por aqui!”;

Eu olho-os com olhos lassos,

(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)

E cruzo os braços,

E nunca vou por ali…

 

A minha glória é esta:

Criar desumanidades!

Não acompanhar ninguém.

— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade

Com que rasguei o ventre à minha mãe

(trecho poema Cântico Negro)

Em 1993, Bethânia lança o disco As Canções Que Você Fez Pra Mim, com músicas de Roberto e Erasmo Carlos, que fez um enorme sucesso e até hoje é o mais vendido de sua carreira. Em 2003 a cantora funda sua própria gravadora nomeada pela própria de Quintanda, para ter a liberdade de criar novas músicas e lançar novos artistas.

Lançou em 2012 o seu quinquagésimo álbum de estúdio Oásis de Bethânia com a participação do cantor Lenine e em 2014 a faixa foi indicada ao Grammy Latino de Melhor Música Brasileira. Também foi eleita pela revista Rolling Stone Brasil, a quinta maior voz da música brasileira.

Em 2015 a cantora completou 50 anos de carreira e para comemorar iniciou a turnê Abraçar e Agradecer com repertório de canções mais famosas e recitações de poemas de Fernando Pessoa, Clarice Lispector e Waly Salomão. Maria Bethânia com mais de 26 milhões de discos vendidos, continua espalhando muito de sua identidade por onde passa, não é a toa que seu renomado apelido é “Abelha Rainha da MPB”.


Compartilhe: