Conheça Brrioni: Com os dois pés no peito ela chega na cena do rap nacional

Conquistando seu espaço e causando efeito com suas letras, Brrioni tem muito a dizer com seu álbum de estreia “Escurecendo”

Compartilhe:

Rapper, compositora e produtora cultural. Alice Brrioni ou somente Brrioni, tem apenas 19 anos, mas desde cedo aprendeu a externar sua dor e transformá-la em arte. Criada na zona sul de São Paulo, a MC se conectou com o movimento Hip Hop aos 16 anos. Antes da música, Brrioni se encontrou na poesia, frequentava slams (batalhas de poesias) e juntamente com amigos assumiu a organização da batalha do Vicente, no Bairro Guarapiranga, Zona Sul de SP. Descobrindo ritmos e rimas dentro de suas poesias, não existiu outra alternativa a não ser se jogar na música. 

Seu primeiro álbum intitulado “Escurecendo” foi lançado no final de 2019. Com mensagens fortes e necessárias, o álbum surge para ressignificar palavras. A MC conta que foi um processo de muito aprendizado “Foi um lance de reverter as minhas dores em arte, foi um desabafo gigantesco, uma dor que eu não conseguia expressar falando para alguém, na música eu expressei de todas as formas que eu pude” explica Brrioni. 

Escurecendo carrega beats, com a pegada Boom Bap, do Trap e influências do funk, o trabalho de Brrioni revela suas vivências no mais profundo. A faixa “Lado Ruim” pauta o racismo através da linguagem, presente em palavras e expressões, muitas delas vividas pela rapper. A faixa é em parceria com Yojin (@depressiador) e Peninha (@peninha_mc).   

Se a coisa tá preta, a coisa tá boa. Se a inveja é branca, seja esperto e corra

Lado Ruim
Brrioni
Brrioni | Foto por: Valdinei Souza

O disco ainda traz participações de Mulambo (@_mulambo) e Thalia Abdon (@thaliaabdon) nas faixas “Sorriso forçado” e “Meu Diamante”. O álbum foi produzido pela Deck 9 Record’s e VINEX, mas Brrioni segue independente.

Sobre ser mulher nesse rolê a Rapper conta que após o lançamento do álbum começou a prestar mais atenção aos detalhes “Eu vi o quanto é foda ser mulher nesse bagulho, o quanto é difícil você lançar um trampo, várias coisas chatas, eu espero que isso mude. Muitas vezes não é valorizado, eu acho isso muito frustrante. Por exemplo, os números de visualizações nos canais, e videoclipes das minas no youtube e as visualização dos manosexplica.

Brrioni carrega referências nacionais pesadas “Hoje em dia eu me inspiro muito em Briza Flow (@brisaflow), me inspiro na Flora Matos (@floramatos), Laura Sette (@laurinhasette), Fenda (@fendaoficial). As minas da minha quebrada, Thalia Abdon (@thaliaabdon). Minas hiper talentosas, se um dia eu chegar no nível dessas minas eu vou estar hiper feliz, conhecê-las seria muito incrível” conta. 

CONHEÇA BRRIONI

@brrioni


Compartilhe: