Carmo nos permite observar seu mundo em “Quarto Infinito”

Primeiro EP do cantor está disponível em todas as plataformas digitais

Compartilhe:

Natural de Sorocaba – interior de São Paulo, Ítalo Carmo ou somente Carmo, desde pequeno performou seu futuro no quarto. Com uma imaginação que o colocava no centro das atenções em seu show particular, ficou difícil não optar pela música como profissão. 

Aos vinte e poucos anos, decidiu apostar tudo na música. Atualmente, com 26 anos, é professor de canto, cantor e compositor. Na última quinta-feira, 27, compartilhou seu universo particular construído em meio a um cenário de pandemia e isolamento social, seu primeiro EP Quarto Infinito.

“ O conceito do quarto infinito eu acho que resume tudo a criação. Se a gente pega, não necessariamente um artista, mas qualquer pessoa, a gente sempre tem grandes ideias e grandes sonhos dentro do nosso quarto, que é geralmente o nosso mundo, onde tudo começa. Então, eu acho que o quarto é muito um ninho de sonhos”, explica Carmo. 

Carmo
Carmo por Guilherme Fogaça

As quatro faixas em parceria com o produtor Lucas Zamur, foram feitas em um home studio feito por eles. O lema faça você mesmo segue a carreira de Carmo, o cantor sempre correu atrás para entender o mercado o que o levou a estudar Music Business pela Puc Rio. São inúmeras cargas que um artista independente carrega e Carmo aprendeu a correr atrás de cada uma – “Esse gerenciamento de carreira vai muito além da gente apenas cantar e gravar, mas faz a gente saber os direitos que temos sobre as coisas criadas, pois a partir do momento que as coisas saem da nossa mão a gente fica meio a ver navios. Então, quanto mais a gente souber sobre direito autoral, sobre o que é nosso, melhor’’, conta. 

Sobre o EP

Em uma voz envolvente, Quarto Infinito é dançante, e carrega composições que flertam com a nova MPB e encontram sua potência na fusão Eletrônica com o Pop. Carmo explica que a ideia sonora era juntar várias de suas referências:

“É como se eu colocasse tudo no liquidificador, misturasse tudo ali para resultar na ideia que estava na minha cabeça. Passando pela MPB, indo para o Eletrônico. Então, eu fui passando, pegando lá de trás Jorge Ben Jor, Elis Regina, Elza Soares, que trazem muito a interpretação e a letra. Aí chegamos nessa fase mais atual que é a música pop, Liniker, The Weeknd, Tássia Reis que eu sou apaixonado, e voltando aos anos 80 com Michael Jackson, Earth, Wind & Fire, é uma infinidade”.      

Quarto Infinito é sobre as possibilidades e da criação. É sobre apresentar ao mundo o que já existe de ideias e coisas mil que a gente quer fazer. Especialmente, sobre sentimentos, mas mostrando para o mundo inteiro agora.

Mesmo nesse período difícil, Carmo carrega a vontade de que tudo isso passe para que ele consiga apresentar seu recente trabalho ao vivo – “Enquanto a vacina não chega a gente vai brincando online. A gente vem vivendo dias que pensar no amanhã é uma coisa tão complicada. Então, a gente tem muito a esperança da vacina, para que todos fiquem bem. O primeiro show será muito emocionante, vai ser um brilho no olhar gigantesco e vai cair a ficha de que enfim a gente saiu dessa, a gente conseguiu, e estamos aqui curtindo”, conclui. 

Acompanhem: @carmoit

Confira o clipe Meu Amor


Compartilhe: