Gabriel França propõe em Céu azul uma pausa em meio ao caos

A música traz uma reflexão sobre o dia-a-dia de uma outra perspectiva. Do alto, entre as nuvens e o ar rarefeito, como uma ave assistindo a humanidade e suas escolhas.

Compartilhe:

Desde cedo apaixonado por música, e cruzando com a história de tantos outros artistas, Gabriel França de 22 anos, teve sua primeira conexão com ela dentro da igreja.

Natural de Natal, Rio Grande do Norte, iniciou em 2017 sua simulação do que poderia ser um estúdio dentro do seu quarto. Atualmente, ele continua no quarto, mas levando tudo de forma mais profissional.

Com grandes influências musicais e uma forte raiz cultural de Brasília, devido ao tempo que ele morou lá, Gabriel, um multi-instrumentista modesto, lançou hoje, 14, o clipe do seu último single Céu Azul.

O single lançado na última sexta, 7, busca lembrar que existe algo bom em meio ao caos. Por outro lado, sem esquecer ou perder a noção desse caos, é o que França explica – “É sobre trazer um pouco de conforto, lembrar que existem coisas boas na vida que a gente precisa apreciar. Ao mesmo tempo, lembrar que as coisas estão bem ruins, que a gente precisa ter uma postura enquanto a isso”.

Tentando olhar esse caos de cima, a música só surgiu depois da capa do single. Céu Azul é a continuidade de outra forma de arte. Como resultado, inspirado pela foto do seu amigo Tim Gomes (@timgomes_art), Gabriel encontrou ali em um tucano e todo o cenário azul do céu, sua canção.

“Eu disse para ele ‘Isso tem muito cara de capa de single de banda Indie’ e ele disse ‘Se tu quiser pode ser tua’. E eu pensei que agora que tenho a foto, e não tenho a música, o que eu posso fazer? As aves estão lá no céu, voando, e elas conseguem ter uma perspectiva muito mais ampla de um todo. Uma situação em que você está acima das nuvens e consegue observar tudo, consegue ter um pouco de paz. Porém, ao mesmo tempo que essa ave consegue enxergar coisas boas, ela também enxerga corrupção, enxerga as doenças, enxerga as guerras, então eu entrei muito nessa brisa” explica.

A faixa de rock alternativo, flertando com o pop, divertida e dançante, é marcada por sintetizadores, uma das referências registradas de Leonardo Ramos (vocalista e guitarrista das bandas Supercombo e Scatolove), que ficou responsável pela master e mix da faixa.

A princípio, a história por trás dessa parceria é uma daquelas que só acontecem uma vez na vida. Considerado por Gabriel uma de suas grandes referências musicais, Léo Ramos, fez todo o processo de mixagem e a masterização da música Céu Azul em uma live ao vivo na twitch.

“Em uma live na twitch o Léo pediu para que artistas independentes que tivessem músicas enviassem para ele mixar. Na semana seguinte, recebi uma notificação no meu celular assim: ‘Léo Ramos está ao vivo mixando a música do Gabi França’. Eu abri e começamos a trocar ideias, foi incrível. Uma live de três horas mais ou menos. Além disso, ele fez um papel de co-produtor, alterou algumas coisas, colocou alguns sintetizadores. Enfim, foi um dia incrível, ver seu ídolo mexendo na sua música ao vivo”, conta.

Gabriel aprendeu a externar suas dores e angústias na música, assim, tornando-a sua válvula de escape – “A música se tornou a minha maior ferramenta de terapia, meu psicólogo é fazer música. Isso salva tanta gente, externar para fora dessa forma. Por exemplo, tem gente que consegue fazer isso pintando, tem gente que consegue fazer isso escrevendo, eu consigo fazer isso através da música” conclui.

@ogabefranca

Confira Gabriel França em Céu Azul

Com produção, direção, edição e finalização por Juninho Vibration @juninhovibration

Produção, Direção, Edição e Finalização: Juninho Vibration @juninhovibration


Compartilhe: