I LOVE ROCK N’ ROLL

Compartilhe:

Acho que tudo começou quando eu nasci, literalmente! Era uma segunda-feira de manhã, típica para não querer acordar cedo, mas adivinha?! Naquele dia, eu fiz todo mundo correr para o hospital. Ok, mas o que isso tem a ver com o rock? Hello!! A mais nova estrela do rock n’ roll estava prestes a brilhar naquele dia! Tudo bem que eu canto meio mau, sou extremamente desengonçada para dançar e já arrebentei as cordas da minha guitarra um milhão de vezes…mas fato é: NÃO EXISTE PADRÃO PARA SER DO ROCK!

UHUUL!!

A-R-R-A-S-E-I!!

Qual é, eu precisava dar sorte em alguma coisa nessa vida! Tá bom, você não quer saber do meu nascimento, – Então, aguarde até eu ficar famosa, farei até um filme sobre este maravilhoso acontecimento – do que eu estava falando mesmo? ROCK. Sabe quando você gosta tanto de uma coisa e não consegue nem expressar com palavras o que você é capaz de sentir? Então, essa é a minha definição para o rock!

Em minha defesa, todas as vezes que estourei as cordas da minha guitarra, foi tentando imitar alguns monstros do rock, juro! Quando chegava em casa, jogava a mochila em cima da cama, fechava a porta do quarto, colocava meu CD do Guns n’ Roses que havia ganhado e dançava sem parar. Toda desengonçada, confesso, mas era naquele momento que eu me sentia livre. Quando os braços estavam para o alto, o cabelo balançava e eu dava alguns pulinhos, antes de começar a imitar os solos de guitarra. Nossa, como aquilo me dava energia.

Apesar de ter crescido em meio ao rock, sempre fui livre para escolher meu gênero musical favorito, mas não teve jeito, eu me encontrei nele.

Ele está presente em meu sangue, certeza. Minha mãe sempre me conta que desde bebezinha, meus olhos brilham ao ouvir minha banda preferida – alô, Bon Jovi corre aqui! Temos uma pessoa que é sua fã desde o berço – mas cara, na moralzinha, isso já virou motivo de orgulho para mim.

Estou falando sério, pode ser a música mais animada que existe, meus olhos sempre se enchem de lágrimas quando as ouço. Sobretudo uma emoção tão grande percorre o meu corpo que só me dá vontade de pular – e disso os rockeiros entendem bem – e sei lá, sentir a melodia, o toque da guitarra, os graves do baixo, em seu mais profundo som.

Em resumo, Rock é o ritmo que me permite ser livre!

Ele me faz bem, consegue me fazer sorrir até nos momentos tristes, ele revigora a minha alma. Como sou grata por ter o conhecido. É estranho imaginar minha vida sem o rock, eu não consigo me imaginar sem esse ritmo presente em meus dias. Acho que é porque ele já deixou de ser apenas um gênero musical que é escutado de vez em quando, ele virou meu Life Style, parte da minha personalidade, ele aparece em meus trejeitos, virou uma extensão de mim.

Meus olhos se enchem de lágrimas só de falar dele. Se o rock fosse uma pessoa, acredito que eu diria:

– Ei, muito obrigada por me preencher da maneira que você me preenche. Você tem o dom de me colocar para cima e despertou em mim, a vontade de mostrar ao mundo como você brilha. Você é um ritmo de presença e o seu legado será lembrado por muitas gerações, eu garanto!

Quando nomeamos alguém como estrelas de rock, não significa apenas que essa pessoa manda bem na música, mas que ela é capaz de transparecer o brilho que o Rock n’ Roll deposita em cada um de seus rockeiros.

Todos nós somos estrelas, até mesmo os mais anônimos dos anônimos, porque rock não é fama, é atitude! E com atitude você ganha o mundo – e com o rock, você ganha o meu coração, fica aí a dica.

Parabéns meu querido Rock, Feliz 13 de Julho!


Compartilhe: