Para todas elas

Compartilhe:

‘Bliim bliim’

O despertador toca.

– Só mais cinco minutinhos – ela diz a si mesma.

‘Bliim bliim’

Ele não se cansa de tocar. É, parece que não vai haver mais cinco minutos.

Ela se levanta e antes de fazer qualquer outra coisa, aperta o play da música que escutava na noite anterior. Ninguém merece ter o som do despertador como a primeira música do dia, não é?

O reflexo ainda cansado aparece no espelho, os cabelos bagunçados, será que ela prende, deixa solto, faz um coque, alisa ou enrola… Ah! São tantos penteados! É uma decisão difícil.

Mexe pra cá, mexe pra lá, parece até dançar no ritmo da música, mas na verdade, só está tentando entrar naquele jeans que ela jura que ainda serve, só para poder se gabar da numeração. 

Mulher, Se você soubesse como és bela e única, simplesmente por ser você! Comparam teu corpo com um violão, olhando apenas as curvas que o compõe, mas não reparam como elas formam as notas mais delicadas que podem tocar um ser humano!

Enquanto terminava de se arrumar, foi inevitável não começar a se questionar sobre coisas que infelizmente, acontecem todos os dias e que ela como mulher, é o alvo principal delas:

– Será que o batom vermelho vai chamar muito atenção? Será que o pequeno decote vai fazer com que alguém mexa comigo na rua? Será que eu estarei errada se me encoxarem no metrô?

São preocupações que já fazem parte do seu dia a dia, mas ela é forte, sabe que apesar da ignorância do mundo, ela consegue se defender – ou pelo menos, tenta.

Por fim, pegou todas as suas inseguranças, colocou dentro da bolsa e saiu para mais um dia de luta.

Durante todo o seu percurso, a música foi sua melhor amiga, ao colocar os fones nos ouvidos, é como se ela fosse levada para um outro mundo, onde tudo é tranquilo e ela pode ser quem ela quiser ser. Sua playlist é extremamente eclética, vai do samba ao rock, a diversidade faz parte de seu ser, pensem em uma mulher versátil!

Quando chega no trabalho, abraça todas as suas responsabilidades e dá o melhor de si em cada uma delas. Cantarolando uma música aqui, outra ali, ela alegra o ambiente, que energia, que leveza!

Ao decorrer de todo o dia, está rodeada de tarefas, de olhares, até mesmo as comparações, mas ela é forte, é autêntica e mostra isso para todos a sua volta, o poder da aceitação, o que a faz brilhar ainda mais!

É a musa principal das músicas e poesias, desde ‘Garota de Ipanema’, de Tom Jobim, até ‘Respeita as Mina’ de Kell Smith. As músicas relatam, amor, respeito, admiração e até mesmo saudade, mostrando como a presença da mulher é marcante! Tão marcante, que até o rei a homenageia, em Mulher de 40, Roberto Carlos fala: “É tão bonita, ela é uma mulher, que sabe o que quer”, e em: “Coisa Bonita”, mostra como a diversidade da mulher é linda!

E por falar em diversidade, ela gosta de observar isso durante a volta para casa. Como ela está sempre na presença de várias mulheres diferentes, como são versáteis, assim como a música. Sempre são uma ótima companhia, enchem o ambiente de alegria, são sensíveis – cada uma a seu modo – e buscam confortar todos que a procuram.

Ela também repara como cada uma tem traços únicos, como cada uma tem seu jeitinho de ser e como cada uma tem uma coisa em comum, que é a força! A força para lutar todos os dias, a força que a permite erguer a sua voz, impor suas vontades, compartilhar seus pensamentos, a força que a impulsiona a se defender, que a ajuda a dizer não, a força que faz dela, mulher!


Compartilhe: